fbpx
UM PROPÓSITO MAIOR

Escrito por Aristóteles Melo Braga

Muito maior do que podemos imaginar

O maior propósito do Vida Connect, sem sombra de dúvidas, é conseguir proporcionar acesso digno a serviços de saúde de qualidade para a uma parcela significativa da população.

Não é novidade para ninguém, muito menos para quem é prestador de serviços de saúde, seja médico, clínica, laboratório ou hospital, que o SUS é ideologicamente extraordinário, mas na prática o poder público não consegue entregar para a população aquilo que está escrito no artigo 196 da Constituição Federal. 1

Apesar de termos um verdadeiro exército de médicos e demais profissionais da saúde que, literalmente, dão o sangue pelo SUS, seus esforços não têm sido suficientes para dar vazão à demanda cada vez maior da população que precisa de serviços de saúde.

O que vemos todos os dias são relatos de profissionais que padecem por não conseguirem aplacar o sofrimento das pessoas que buscam atendimento no SUS, mas a estrutura, seja técnica, física ou de pessoal, é insuficiente para dar conta de atender todo o contingente que depende dessa estrutura. As “filas do SUS”, invariavelmente, tem sido uma dura realidade no Brasil.

O fato é que o poder público, por mais bem intencionado e competente que seja o gestor (casos raros, infelizmente), não consegue dar vazão à enorme demanda da população por serviços de saúde, culminando com as famigeradas filas e com a baixa qualidade dos serviços que consegue entregar.

Quem conhece de perto a rotina de serviços públicos de saúde, testemunha todos os dias o sofrimento de pessoas simples, sem condições financeiras, que se veem obrigadas a acordar de madrugada e tentar pegar uma senha para ser atendido e ter seu problema de saúde resolvido.

E esse contingente de pessoas que se amontoa nas “filas do SUS” representa mais de 75% da população brasileira. Algo em torno de 160 Milhões de pessoas são “SUSdependentes” e não têm outra alternativa que não seja deixar sua dignidade de lado e se submeter, muitas vezes de maneira humilhante, a buscar atendimento em serviços públicos de saúde.

Sem querer generalizar, eis que existem algumas ilhas de excelência no SUS, mas o fato continua sendo que a maioria da população padece de melhores condições de atendimento nos serviços públicos de saúde.

Também não temos a intenção de apontar o dedo para ninguém, nem tampouco querer encontrar a causa ou culpado para o problema que aí está. As causas são muitas e complexas e não devem ser debatidas com argumentos rasos.

Contudo, em que pese o problema existir e as causas serem difíceis de resolver, queremos olhar para frente e contribuir efetivamente para que o maior número possível de pessoas consiga ter acesso digno a serviços de saúde de qualidade.

Pensando nisso, foi idealizado um projeto que viabiliza, de maneira sustentável, o acesso dessa população menos favorecida aos melhores serviços privados de saúde.

Ao mesmo tempo que conseguiremos devolver a dignidade das pessoas, que passarão a dispor de médicos, laboratórios, clínicas e hospitais de excelência, esses prestadores de serviços de saúde passarão a receber um fluxo de pacientes que antes não tinha como alcançá-los e como consequência diminuirá a sobrecarga do SUS, que conseguirá otimizar seus serviços entregando melhor qualidade aos que ainda continuarão a depender dos serviços públicos. É um círculo virtuoso que só trará benefícios para todos os lados.

Assim nasceu o Vida Connect. Da empatia pela população que depende quase que exclusivamente do SUS e do entendimento de que os prestadores de serviços de saúde também precisam viabilizar economicamente suas atividades.

É cada vez mais premente que o sentimento de coletividade e de consciência social se alastre de maneira pragmática, a fim de que cada um de nós possa contribuir com a melhoria da situação do outro.

O interessante é que quanto mais contribuímos, mais crescemos. E quanto maior estivermos, mais vamos conseguir contribuir.

Nesse espírito, conclamamos todos os profissionais e serviços de saúde a se conectarem conosco e construirmos juntos uma grande teia do bem, que vai viabilizar o acesso a serviços de saúde para milhões de pessoas, por todo o Brasil.

Imbuídos desse propósito, o profissional que aderir ao Vida Connect poderá dar sua parcela de contribuição abrindo espaço em sua agenda para atender essa grande parcela da população que necessita ser dignificada nos cuidados com sua saúde.

O Vida Connect respeita e não interfere nos valores que os prestadores praticam, mas chama mais uma vez a atenção para o propósito e recomenda que os profissionais e serviços de saúde estabeleçam valores que sejam condizentes com suas necessidades, mas que também viabilizem o acesso da população menos favorecida.

Como sugestão, o Vida Connect indica que usem como parâmetro os valores que praticam para as Operadoras de Planos de Saúde com quem mantém contrato e façam a seguinte reflexão: Se conseguem praticar esses valores para os Planos de Saúde, porque não praticar valores parecidos e ainda ganhar como recompensa o privilégio de ter contribuído para o bem de grande parte do maravilhoso povo brasileiro?

Ademais, os médicos e demais prestadores de serviços de saúde vinculados ao Vida Connect aumentarão significativamente o fluxo de pacientes atendidos, o que se traduzirá num importante incremento de receita, mesmo praticando valores acessíveis para esse público.

Como dito, o Vida Connect proporciona um círculo virtuoso para todos os envolvidos. O bem que um pratica em favor do outro, retorna como benefício que viabiliza a continuidade dos atendimentos, alcançando mais pessoas, que por sua vez, conseguirão pagar os valores cobrados e assim os prestadores melhorarão seus resultados financeiros. Todos ganham.

E dessa maneira se consolida o propósito do Vida Connect, que conecta a vida o paciente à do médico, através da nossa.

Venha e descubra a melhor maneira de conectar-se com a vida!

Aristóteles Melo Braga Advogado Head Jurídico do Vida Connect

Art. 196. A saúde é direito de todos e dever do Estado, garantido mediante políticas sociais e econômicas que visem à redução do risco de doença e de outros agravos e ao acesso universal e igualitário às ações e serviços para sua promoção, proteção e recuperação.

 





Abrir o WhatsApp