fbpx
POR QUE A TELEMEDICINA IRÁ SE ESTENDER ALÉM DO PERÍODO DE PANDEMIA NO BRASIL?

Escrito por Antonio Fagundes da Costa Junior

A TELEMEDICINA E O ATENDIMENTO PRESENCIAL

Nos últimos meses, a Telemedicina entrou definitivamente nas rodas de discussão. Entre os profissionais de saúde, essas discussões permeiam a segurança do atendimento, a efetividade de um atendimento por Telemedicina ou por uma Teleconsulta, o crescimento da oferta de plataformas no mercado…

Entre pacientes, diversos questionamentos são feitos aos profissionais, desde questões de ordem tecnológica até dúvidas de como serão realizadas e encaminhadas prescrições, solicitações de exames, emissão de atestados, etc.

Apesar de já existir há bastante tempo, a modalidade de atendimento médico online ainda é algo muito novo em nossa realidade, portanto, não é difícil entender receios dos dois lados, tanto por parte dos médicos, quanto por parte dos pacientes. 

Em nossa opinião, o tempo e a experiência com seu uso irá trazer a segurança de que todos precisam para exercer e desfrutar dos benefícios que a Telemedicina pode oferecer ao cuidado com a saúde, principalmente em função do momento complexo de pandemia COVID-19 por que passa todo o mundo.

Todavia, algo dever ser o ponto de partida para qualquer raciocínio ou discussão do tema: a Telemedicina não veio substituir o atendimento médico tradicional ou presencial. Por mais que se avance no quesito tecnologia ou por mais que a sociedade evolua em sua intimidade com esta tecnologia, a boa relação médico paciente carece do contato, do olho no olho, do aperto de mão, do exame manual… isso vai demorar para mudar, e talvez, nunca mude.

Sob a ótica dos pacientes, a Teleconsulta deve ser percebida como um facilitador de acesso ao cuidado, como forma de diminuir o tempo de espera para um atendimento com um determinado especialista, ter acesso imediato a orientação médica mesmo em localizações sem a disponibilidade de uma determinada especialidade e até mesmo a ausência total de cuidado médico. Adicionalmente, a telemedicina pode trazer uma significativa redução dos custos operacionais da assistência à saúde, o que se traduz em consultas com valores mais justos e portanto, acessíveis para um maior número de pessoas.

Da perspectiva do profissional, a Telemedicina deve ser reconhecida como mais uma opção, entre as diversas ferramentas disponíveis para se fazer medicina com qualidade, responsabilidade e profissionalismo. Os preceitos éticos, morais e acadêmicos, exigidos na medicina tradicional, são igualmente necessários para a realização de um atendimento online. A relação médico-paciente deve continuar intocada e esse objetivo deve ser constantemente perseguido.

Alguns exemplos práticos. Num momento como o atual, onde o risco de contaminação pelo COVID-19 em ambientes de atendimento à saúde é uma realidade, aqueles atendimentos mais simples, tais como a troca de uma receita médica, a solicitação de exames, um relatório médico ou mesmo um atendimento inicial para um caso urgente, pacientes e médicos podem ter um ganho imensurável de tempo, menores riscos de exposições, menos deslocamentos e até mesmo uma economia de valores. 

Outro ganho real ofertado por essa modalidade, é de estar disponível para qualquer cidadão que tenha acesso a um smartphone (telefone com internet e possibilidade de instalação de aplicativos), mesmo aquelas pessoas moradoras de cidades do interior, podendo ter acesso a qualquer especialidade médica oferecida por especialistas de todo o Brasil.

Para finalizar, podemos e devemos levar em consideração que, uma vez iniciado um atendimento por telemedicina, nada obriga que ele termine pela mesma modalidade. Um eventual retorno da primeira consulta, se necessário for, pode e deve acontecer de forma presencial ou tradicional, da mesma forma que uma consulta inicialmente presencial pode se beneficiar de um retorno por telemedicina, o que pode se traduzir em inúmeras vantagens para pacientes e médicos.

Como última ressalva, orientamos aos médicos e pacientes que utilizem plataformas que sejam adequadas de fato, para um atendimento de excelência. Os aspectos éticos, morais e legais continuam sendo necessários ou até mesmo, mais exigidos ainda nessa modalidade de atendimento. Não se aventurem sem segurança. Aos pacientes diríamos: trata-se de sua vida! Aos colegas médicos: trata-se da sua carreira!

Somos o Vida Connect, uma plataforma de conexão em saúde completa!

 

Prof. Antônio Fagundes Jr.

Cirurgião Vascular – CRM/TO: 1742 RQE: 756

Professor Adjunto de Medicina da Universidade Federal do Tocantins.

CEO Vida Connect





Abrir o WhatsApp